segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Crystal Warriors



Crystal Warriors (Ariel: Legendary Crystal no Japão) é um RPG de estratégia bem rústico lançado para o Game Gear em 1991, um ano depois que o primeiro Fire Emblem estreou, esse que trouxe junto o começo de uma onda de popularidade sobre o gênero e o nascimento de vários jogos utilizando mecânicas similares por outras empresas (apesar de FE se inspirar nos poucos jogos mais antigos de estratégia lançados para os computadores domésticos). CW tem uma sequência também lançada para GG chamada Royal Stone, mas que nunca saiu nos EUA e acabou completamente esquecida.


Esse jogo é simples em todos os sentidos, sendo assim bem curtinho de terminar e nada difícil de pegar a manha para passar pelas fases. Começando pela história, a introdução simplesmente conta como o continente de Tyramus vivia em paz graças aos 4 cristais lendários do reino de Ariel (hummm... Isso me lembra alguma coisa...), mas que tudo isso acabou por causa de um império do mal chamado Jyn, comandando pelo imperador Grym. A protagonista, princesa Iris, conseguiu fugir da invasão levando um cristal consigo, assim incitando a ira do imperador que mandou seus soldados atrás dela. E isso é tudo, não se desenvolve mais a história depois esse ponto, salvo no texto final que simplesmente fala que o continente viveu pacificamente por anos e Iris se tornou uma lenda em poucas palavras.

Os gráficos apenas refletem o estilo 8-Bit da época, mas que comparado com o primeiro FE é até um pouco melhor que esse. Já a música é bem fraca e repetitiva, mas não tem o que culpar, já que praticamente é um jogo antigão e ainda mais do Game Gear, que não é as mil maravilhas com sons. A mecânica se baseia em mapas bem simples, com 9 personagens de cada exército em cantos opostos e tendo um castelo como base, nada complicado.


Há seis classes no jogo: guerreiros, lordes, caçadores, monges, magos e princesa; Sendo que cada uma delas tem um elemento baseado nas quatro forças básicas da natureza: fogo, água, terra e vento. Cada um tem suas forças e fraquezas naquele manjado sistema de "pedra, papel e tesoura". As animações de luta são praticamente iguais as de FE, só que sem as barras de energia e um menu de opções, podendo atacar, usar magia, invocar monstros que o personagem derrotou para atacar os inimigos, entre outros.


Não há exploração, tudo se baseia em vencer uma fase, ser transportado para a cidade aonde pode descansar, ouvir comentários sem importância dos NPCs, comprar equipamentos, magia e descansar no Inn, só para então sair e enfrentar mais uma fase. E nos Inns pode encontrar personagens que querem participar de sua causa, sendo possível recrutá-los ao pagar uma certa "taxinha".


Crystal Warriors não é um jogo ruim se for ver, mas é bem simplista, fácil e rápido demais para se fechar. Porém vale a pena jogá-lo para ter uma noção básica de como era os "primeiros" jogos do gênero ou simplesmente completar sua lista de jogos concluídos no Game Gear.


Nenhum comentário:

Postar um comentário