sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Ganbare Gorby


Olha a capa, quem não apoiaria um cara que roubaria para o eleitorado gadgets e comida?


Outro puzzle do Gorbachev, agora é o Game Gear a receber este insólito joguinho. “Gorby” tem a missão de invadir fábricas e abre sua passagem à força entre os seguranças truculentos, repassando a carga das fábricas para crianças e velhinhos enquanto dribla quem estiver vigiando os setores. As necessidades de cada nicho rondando as fabricas alternam-se. Às vezes são crianças querendo Game Gears, na seguinte seria alimentar os mendigos famintos. 

O sistema funciona por rounds, seu dever é driblar os vigias, pisar em botões que alternam o trajeto dos produtos fabricados para chegarem às mãos do povo oprimido que rala peito dali. Conforme passa pelas rodadas tudo gradativamente dificulta os intentos do “Robin Hood russo” : Esteiras passam a ficar mais emaranhadas, como a quantidade de receptores, fora os objetos danosos que se misturam mais e mais aos produtos. 


O modo certo de tirar a melhor pontuação seria cumprir o round no melhor tempo, evitar apanhar dos guardas, coletar bugigangas nas esteiras enquanto distribui os pertences sem que nenhum cause problemas pra quem os receba do lado de fora da fábrica e de ajuda temos os gritos (discursos?) do ex-presidente soviético capazes de atordoar a vigilância. 

Agora me diga... O que diabos isso tudo quer dizer? Seria alfinetada ao ex-presidente por ele ter de certa forma contraído fortes dívidas para o recém aberto mercado russo? Ou mero carisma por ter dissolvido a URSS? Nunca saberemos. A divisão americana da Sega não deve ter curtido tanto enaltecer o estadista a pouquíssimo tempo da democratização daquele país, então botam um guri levado no lugar e tiram os poucos detalhes ligados ao Gorbachev, renomeando o joguinho para “Factory Panic”.


O puzzle é muito mixuruca. Som medíocre, ausenta qualquer apelo pra não dizer sua condição datada, e se optar pela adaptação ocidental, removerá boa parte da graça em jogar sem a palhaçada niporonga feita ou quiçá “homenagem” a este político.

Nenhum comentário:

Postar um comentário