sábado, 10 de agosto de 2013

Godzilla



~Tããã... Tanananããã... ~

Oh, no, they say he's got to go
Go, go, Godzilla!
(Yeah)
Oh, no, there goes Tokyo
Go, go, Godzilla!
(Yeah) 


Boa música, boa música... Godzilla a.k.a. Gojira! Batizou muitos jogos dos mais variados temas e sistemas, uns pura fedentina enquanto outros resistiram e ficaram cult, servindo de exemplo o jogo de luta pra Turbo Grafix 16. Este exemplar do Game Gear tem em sua tônica a estratégia. Escolhe jogar com Godzilla e monstros aliados a sua causa ou lidera as forças especiais nipônicas. 

Ambos digladiam como se estivessem num tabuleiro de xadrez. Nos encontros rolam lutinhas. Godzilla precisa acabar ou resistir aos ataques humanos, não sei como é escolhendo os humanos, porque sejamos justos, ninguém escolherá de cara eles a não ser a lagartixa de 20 metros. 
Devido ao campo de batalha ser uma cidade bem grande e conter uma enxurrada de tropas japonesas, o computador leva séculos movendo os destacamentos por vez. Detalhe, tanto Gojira quanto os japas tem no contratempo as criaturas hostis ao monstrengo padroeiro do jogo, algo válido, aumenta a tensão e quebra o clichê da estratégia. Precisa estar em qualquer lista séria (se é que videogame pode ser levado assim) enumerando o melhor do sistema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário