sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Akumajou Special: Boku Dracula-Kun




Um jogo de aventura em alta qualidade, bem cultuado de uns anos pra cá, principalmente a respeito de sua estreita ligação com a série Castlevania, apesar de nada ter a ver com ela, com exceção das paródias. Seu estilo puxa Mega Man, que na verdade é uma resposta à altura da Konami para as sequências cada vez mais desleixadas do outro jogo. 


Seu personagem é o Kid Dracula, mais famosinho nos shooters Parodius, seus poderes vão aumentando conforme mata os chefes, atira pra cima, baixo e lados, carregando a bola de fogo, seus oponentes tomam mais dano e derrubam moedas, as moedas são investidas nos jogos de azar entre rounds, viram aposta pro aumento do crédito e a sua serventia principal que é premiar com vidas jogando direito nas provas. Voltando a questão dos poderes, há disparos teleguiados, bola de fogo explosiva (a melhor arma), tiro congelador somando a isso a habilidade de temporariamente virar morcego e caminhar no teto.


Tirando a primeira fase no castelo do Dracula, não tem nada puxando Castlevania, você passa por Nova Iorque, montanha russa, fortaleza robótica, navio voador, neve, deserto, os inimigos não só parodiam a franquia como também dão espaço pra outras zombarias como o primeiro chefe, um fantasma vestido de membro da Ku Klux Klan (censurado na sequência ocidental do Game Boy), Spider Man, Gamera, Jason,  fora certas situações bizarras como participar de um quiz apresentado pela estátua da liberdade, o único infortúnio do jogo porque precisa entender as perguntas em japonês, por sorte, elas sempre se mantém iguais, vai então o gabarito: 1-B, 2-A,3-B, 4-C,5-B, já dá pra vencer, senão arruma a IPS. 


Os gráficos são um primor, difícil um babaca torcer o nariz, personagens expressivos, as fases mesmo triviais ao gênero arrancam coisas criativas mantendo sempre o dinamismo, e outro fator importante pra tornar Akumajo Special legal de jogar fica na trilha sonora, o tema da última deveria entrar em qualquer top 10 sobre melodias marcantes no sistema. Ouve só: 


Agora, o xablau dele seriam referências suas em Symphony of the Night, aquela caveira buscando o crânio veio daí, e sabiam que Galamoth, aquele dinossauro elétrico filho duma puta, antagoniza este jogo?

Tá mais que recomendado ele!

Nenhum comentário:

Postar um comentário