domingo, 1 de setembro de 2013

Vegas Stakes



Continuação espiritual mil vezes melhor do Vega’s Dream, japoneses já foram mais inventivos no passado. Prova disso é Vegas Stakes, quase um simulador de gente viciada na mais pura e indigna vida de apostador na cidade do pecado, Las Vegas. Falei bonito agora. Praticamente dando a entender sobre um ciclo passado de minha aventurança na perda total do dinheiro. Mas não se enganem, é um simulador bonzinho. 



Insinua, por exemplo, que você teria dinheiro suficiente pra apostar nos vinte e uns e roletas, apenas com aqueles trocados tirados das slot machines, e os mais sábios tem conhecimento que a bandida só regurgita trocados de tempos em tempos, independente da alavancada feita quando essa tem dito cujo complemento. Caiamos na credulidade de que isso aconteça. Você já portador de uma importância inicial vai apostando nas várias modalidades de jogos. 



Começa numa viagem de carro com o Ray Liotta mais um casal de lésbicas trocando piadinhas sem graça nenhuma sobre gastar a grana toda no lugar. Eu estava numa bad trip, então não gostei nem de ler os textos, me pareceu triste. Pus meu nickname como “Raol Duke”, após isso é atirado na suíte do cassino e na minha mente aparece o diálogo do De Niro falando que pra rapar a grana do filho da puta é questão de enrolá-lo no cassino por horas. 



Deixando a palhaçada de lado, você pode sair do cassino local e partir pra outros temáticos e que apostam mais alto o teu dinheiro, o jogo mais bondoso seria o blackjack mesmo, no meio das apostas aparecem gente com papos pra te vender joias, como só começa apostando mil "reais", é preciso negar o valor pedido até uns 400 mangos, mesmo assim varia na sorte de ser enganado ou não, na minha vez faturei 9K de um nerdão cosplayer, infelizmente perdi tudo no pôquer. Por isso, é fundamental sempre jogar no blackjack, also known as 21. Sim, aquele jogo de auditório do Silvio Santos.



O objetivo é angariar 10 milhões de dólares, por isso a moral é apostar sempre alto durante o blackjack, arriscar ou não nas barganhas, tentar achar seus compadres no cassino, algo marcado nas conversas telefônicas da suíte, além de outros chavões do gênero. Sofre menos pela questão de poder gravar o avanço, então pode sempre bancar o maluco excêntrico.
Gosto pra caralho desse jogo, e pago pau mesmo. Deixaram o visual da cambada bem realista, e pegaram joguetes que ninguém daria bola e talvez não se importem com este jogo falado por ser do tipo caça-níqueis, além de que bolaram toda uma mística. Putaquipariu, eu to viajado em pleno cassino, e eu sei que se fizer palhaçada, me levam pra garagem via elevador pra me matarem. Fui! 


Nenhum comentário:

Postar um comentário