quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Animahjong X Perfect



PC-98 + mahjong, acho que já devem conhecer o resultado dessa mistura... Pro nosso bem Animahjong como jogo de azar contendo striptease está acima do padrão, talvez um dos melhores representantes de mais um subgênero pervertido do sistema. As personagens são dubladas e recebem quadros de animação enquanto despem-se conforme for vencendo ou perdendo as rodadas. Faço resalvas a mente lelé dos japas, porque logo no começo deve selecionar entre duas mulheres e um cara talvez o cafetão delas, sério, pra que por um homem selecionável? Que mulher jogaria algo pro PC-98, ainda mais lá? Só se for algum baitola(nada contra, antes que me chamem de neonazista).


As personagens à escolha são todas putas boazudas, e que pela ladroagem nas partidas tirarão muitas vezes suas roupas, alguma misericórdia você deveria merecer. Em contrapartida as "moças" que na lógica deveriam valer o sofrimento de vencê-las não passam muitas vezes de piriguetes sabiás. Das duas uma, ou o jogo é tão ladrão que botaram logo duas vagabundas acima da média pra alegrar o público onanista evitando a frustração ou então gostam das jaças recém-saídas do colégio pra remeter o prazer bizarro justificando jogarem horas a fio tentando ver uma delas nua, trocando até um mulherão (Freud explica, meu filho!), havendo junto os típicos  fetiches de enfermeira, mulher alcoólatra, patricinha etc..  


O mahjong é um jogo de tabuleiro possuindo centenas deles lançados pra todos os sistemas, porém poucas pessoas se atrevem a explicar as regras, seja por má vontade ou covardia... Além do mais, agora há uma modinha sobre apenas fazerem a versão solitária do mahjong e não mais o competitivo rolando grana, acho escrotice isso. O mahjong tem caracteriscas muito parecidas com o buraco, não explicarei muito o sistema de rodadas, uma vez que Animahjong restringe-se a dois oponentes, mesmo o modo para quatro jogadores não segue a risca as regras originais. As pedras formam naipes e permitem realizar sequencias incluindo as honoríficas, geralmente as de ideogramas numa cor só (preta, verde, vermelha e de superfície lisa), essas quando unidas aos naipes tradicionais tendem a subir mais sua pontuação.


O segredo aqui é evitar misturar muitos naipes, e fazer uma sequencia grande entre trincas honoríficas, ou então apelar pra quadras e trincas, esqueça os pares, sacrifique-os na medida do possível. Caso tenha essa mão monstruosa, declare riichi para apostar a grana e arrancar a do inimigo, automaticamente você terá que escolher uma das várias pedras até ela fechar a tua mão e assim você declara ron. De maneira mais branda, durante os descartes inimigos ou compras de peças da muralha, ela pode casar com as suas, podendo formar sequencias de tres ou quatro pedras, iguais ou não, combos chamados de pon, chi e kan.



Evite usar tsumo, que seria encerrar o jogo julgando que a sua mão está mais imbatível que a do inimigo. Aqui no caso é besteira, porque o oponente sempre se safará pelos absurdos, como ter três trincas ou grandes sequencias. Jogue de maneira sóbria, mesmo assim não há garantias, a máquina revida com tudo depois de duas ou três derrotas contra o jogador, fora a tensão nervosa de ter o seu dinheiro aumentando ou descendo drasticamente feito montanha russa. 


Esse vocabulário parece alienígena? Calma, o jogo entrega de bandeja as opções do que deve fazer na medida que tem as peças específicas, e as personagens gritam o nome da tática, aí é questão de tempo pra gravar as palavras e sons. Meio prolixo isso, mas não é problema meu, culpem qualquer outro veículo sobre videogames que não te dá colher de chá sobre as regras dessa parada. A imagem do jogo que tenho, já entra num debug mode, permitindo visualizar todas as animações, jogar contra as personagens sem precisar da historinha mulambenta, jogar no modo tradicional de quatro desafiantes, arrumar o som, etc.. etc.. 



Fica a dica de um jogo bem feito para começar a compreender sobre esse tabuleiro que arranca milhões dos perdedores asiáticos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário