sábado, 30 de novembro de 2013

SegaSonic the Hedgehog



A Sega não seria a Sega se não enfiasse em todo tipo de vídeo-game que bota o dedo uma versão do Sonic, seria o mesmo que a Nintendo não criasse um jogo do Mario para estrear todo console e portátil novo que inventa. Esse arcade do Sonic faz parte da exclusiva lista de "caça-níqueis" que usam a famosa trackball, aquela bola maldita que precisa ficar estapeando para jogar até o braço cair do corpo.


O jogo se inicia com Sonic (e seus dois coleguinhas, caso houver mais jogadores) fugindo da geringonça gigante do Eggman/Robotnik/quecargasd'águasejaaversãodonome que quer capturá-los e levá-los até a sua ilha para começar sua própria versão de Jogos Mortais, coisa que todo bom cientista maluco e sádico costuma fazer.


Como dito antes, além do Sonic como personagem, há também dois dos personagens mais imemoriáveis de toda a franquia: Ray, o esquilo voador e Mighty, o tatu (pelo menos poderiam ter colocado o Tails em vez do esquilo, já que em 93 ainda não tinha o Knuckles e outros miguxos do Sonic). Mas enfim, são sete fases bem breves e vistas em formato isométrico, nas quais estão cheias de obstáculos e plataformas fáceis de se cair se não controlar direito a bola, sem falar que em todas elas há armadilhas avançando por trás do boneco, não dando tempo para parar, pensar e agir.


Para os tais obstáculos e plataformas, há apenas um botão que serve para pular, precisando calcular os empurrões que dá na bola e o momento certo de saltar. Ao pegar os típicos anéis, o personagem não só recupera energia perdida como também pode participar de um bônus caso atingir um alto número de coleta.


Os gráficos são excelentes, além das músicas serem bem frenéticas para combinar com a ação do jogo. Também colocaram breves dublagens de qualidade para todos os quatro personagens, o que deixa a temática da jogatina mais "viva". Já que os nipônicos não mandaram o bagulho para cá na época, jogar pelo emulador é o único jeito, mas a Cucamonga Games tem contatos com o submundo e conseguiu uma versão contrabandeada paga e com nota fiscal, então não venham pensando e acusando o blog de ilegalidade.


Um comentário: