sábado, 28 de dezembro de 2013

Amnesia



Aventura em texto do ronca publicada pela EA em 86 pra MS-DOS, Commodore 64 e Apple II, escrita por Thomas M. Disch e um dos únicos trampos programados pela equipe da Cognetics. Ao contrário dos japas, aqui ninguém tem vergonha de exporem os seus nomes completos por programarem coisas doentes. Joguei a versão DOS por comodismo, afinal é somente texto, masoquismo puro, eu sei, quis conhecer melhor o modus operandi desse gênero cavernoso e ver se os comandos são tão engessados como atestam por aí.


A interface é típica de um prompt de comando, cai um pedregulho textual descrevendo a situação, pedindo que transcorra o texto, rola uma situação e você precisa se virar em explorar os ambientes, pegar itens, noutras responder pequenas questões, não precisa ser um expert no inglês, são comandos bem ridículos, mas ficando de graça quebra a cara.

O nome denuncia a típica trama de suspense, onde um maluquinho acorda pelado num hotel qualquer e necessita executar do simples levantar da cama à coleta de itens como uma bíblia, a chave do quarto, inclusive uma toalha pra sassaricar no lugar, e é aquilo, entrar nos quartos, visitar áreas do prédio...


Serei sincero... Fiquei travado e dá um sono maldito após um tempo, pode ser injustiça minha, mas qual é? É chato mesmo pow, devia ser até pra época. Pra piorar, se fizer lambança vem uma enfermeira (foi assim que eu pesquei, afinal aprendi inglês traficando drogas na selva) e diz que tu vai tomar um remédio pra não ficar piradão.


Recorri ao Gamefaqs, mas até o detonado está incompleto e remonta 2006. Bom, não jogarei outro adventure nesse naipe pra não ter grandes frustrações depois, acho mais interessante ler algum livro mais doentio, pra não dizer macabro, do que jogar isso. Provavelmente esta trama não deve ser tão pesada assim, pois a EA tava na espreita. E é isso, registro da minha decepção em pleno fim de ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário