sábado, 15 de novembro de 2014

Nemesis '90 Kai



Remake do Gradius 2 do MSX (sem o algarismo romano) realizado pela SPS, companhia focada nas adaptações dos arcades da Konami no Sharp X68000, também envolvida na criação de drivers para computadores. Depois de Castlevania, esse é sem dúvida um dos mais cobiçados da plataforma . Gradius 2 foi uma sequencia doméstica vendida antes da continuação oficial dos fliperamas, devido a isso muitos elementos e ideias apresentadas nas demais sequencias passaram por ele, algumas deixadas de lado.

A verdade é que esta versão dá uma surra bonita no original, o primeiro falhava nas cores berrantes desconexas, rolagem da tela sacaneada e demais limitações da máquina empecilhos na experiência realmente arcade. Gosto pra caralho do MSX, guarda muitas preciosidades hoje plagiadas por muitas companhias ditas indies, talvez o único pormenor dos jogos dele seja justamente a fraca capacidade do sistema, se fosse um pouquinho mais robusto talvez se consagrasse no mainstream.


Provavelmente agora a oligarquia "msxizeira" que se reúne a cada ano bissexto nos sábados iluminados pela lua cheia, além de espanhóis pinéis, urrarão de ódio amaldiçoando os céus por dizer qualquer decréscimo do MSX. Somente permitem atestar suas limitações a fim de dizer os milagres realizados por ele com todas as barreiras impostas – Chavismo eletrônico.

A SPS não reaproveitou as fases da versão beta de MSX, a exemplo duma egípcia e outra glacial, no entanto trouxeram duas novas fora os gráficos e desafio próximos a Gradius III. Nessas duas versões apresentam ainda que de forma chinela uma historinha mais satisfatória senão básica para justificar as matanças no espaço. Incluem ceninhas dum cientista maléfico querendo dominar a galáxias ou outra merda valendo; trocam a Vic Viper pela nave Metalion, (sim, o nome daquele monstro do Judas Priest) e o nome do maluco a pilotá-la é Jack Burton... Putz... Parabéns pela inventividade...


Os temas mudam bastante a cada nível: Ruínas (sem os famosos moais), cachoeira, fase de planta, uma de fogo outra biológica... Os chefes reaparecem, porém mais intercalados, detonando um deles, você entra num portal que te leva pro bônus, se atravessá-lo e batê-lo dentro de pouco tempo ganha itens especiais, se atrasar não leva nada e ainda soa inútil tê-lo feito, porque a vida é também apostada aqui.

O sistema continua aquele de ter uma nave favelona em que você deve ir coletando bolas vermelhas matando determinados monstros ou abatendo formações inteiras de inimigos. A cada bola ou orbe se for fresquinho por eu não usar termos gringos, as bolas passam pela tabela de melhorias: velocidade, mísseis, laseres, satélites. Alguns deles não estão visíveis de primeira, então vá coletando mais e mais dessas paradas pra ir aparecendo os power ups “secretos”. Alguns itens são achados matando determinados alienígenas, estes são mão na roda, cito o de desacelerar a fase.

As armas tem diferentes alcances e desvantagens, a chave da série Gradius é gerenciar estas melhorias para ir detonando tudo sem suar tanto, geralmente os viciados arrumam 3 “options”, 2 “speeds” e catam um laser, fora o que for aparecendo conforme acumula os orbes.


Pra desgraça, nunca mais o jogo saiu do Sharp, não sei qual foi a panaquice da Konami em não por o jogo nas coletâneas, só porque foi a SPS que fez e incluiu duas fases? Só poderá jogar o Gradius 2 do MSX em coletâneas japas pra Saturn e PSX, permitindo até uns efeitos funestos que a Konami incluía, caso você tivesse inserido certos cartuchos dela no segundo slot do MSX, tipo jogar com o pinguim no lugar da nave, usando a fita do Penguin Adventure. A segunda opção nos conformes da lei é uma compilação de Salamander pra PSP, melhorando um pouco os gráficos e corrigindo certos déficits do original.


Mais um jogo nível fliperama pros lares dos japas milionários noventistas da época, é passagem obrigatória pra quem joga Gradius, pra quem é paga pau da Konami, pra quem quer saber o que tem pro Sharp.

OBS: Ainda pode se aventurar numa versão mais fidedigna criada por um fã chamada Gradius 2, no lugar de “Nemesis '90 Kai”, ele lima as liberdades tomadas pela SPS e também não traz o perdido na edição beta do MSX, só recomendo pros maluquetes viciados em Gradius mesmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário