segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Wave Race



Um das diversas franquias originais da Nintendo relegada ao ostracismo sofrido após o Game Cube. Para um jogo sobre jet skis convertido pro tijolão, não é que ficou bem programado? Os gráficos estão enxutos pro permitido no aparelho, músicas e controle estão OK.


Tem bastante opções para optar antes da partida definida: Modo pra um, multi, treino e recorde. Então escolhe um dos percursos  bem variados, a categoria de cilindradas tipo Mario Kart e o objetivo, a costumeira corrida decidida por voltas e points atravessados.

Conforme for o seu tempo, itens coletados e posição a sua pontuação muda ajudando no desbloqueio de desafios maiores tal qual Mario Kart, afinal a Nintendo se escora em tudo pra não inventar muita coisa já que incomoda o setor criativo da companhia.


O controle embriagado segue a receita daqueles joguinhos de fórmula 1 dos quais confesso não ter domínio, devo me punir açoitando as costas lendo uma Nintendo Power importada. Necessita ter o senso comum de melhor manobrar sua motoca aquática nas curvas do percurso de água mais escura contrastando com o restante do mar; deve evitar os empecilhos bestalhões como porções de areia, marolas, redemoinhos, ter destreza nas rampas fazendo-o saltar e coletar itens de invencibilidade enquanto dribla os demais corredores objetivando a primeira classificação.


O direcional é bem enjoado de estabilizar o jet ski, B seria o motor e A o turbo limitado por uma barra de gasto.

É um jogo marciano, seja a temática quanto o sistema que lhe recebeu, experiência bem única, mas sua dedicação ficará numa linha tênue entre interesse e o tédio. Não sei se na real vale ter perícia nisto, depois de algumas vitórias perde o carisma. Garanto somente 50% de chance de que irá gostar de Wave Race, só não detono porque mal feito ele não é. E tá falado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário