sábado, 9 de maio de 2015

Gunforce 1 e 2


Gunforce: Battle Fire Engulfed Terror Island


Criação da Irem de 1991 seguindo a ideia de Contra, só que em vez de brucutus dedos-bobos correndo de peito aberto pela mata, são soldados futuristas bem equipados; Mas fora isso, o esquema é o mesmo, invadir a base de um esquadrão alienígena que deseja dominar a Terra.



Não há muito o que falar desse jogo, são seis telas nas quais deve metralhar os robôs armadurados alienígenas e acumulando pontos e upgrades como lança chamas e afins. É possível também entrar em caminhões, helicópteros e afins para maior poderio militar contra os inimigos, um fator interessante nos arcades do começo da década de 90. A música é bem simplista, mas os gráficos são bem feitos para a época. Não há enxurradas de inimigos e a dificuldade permite que possa fechar esse jogo com uma ficha se acabar se dedicando. Apesar disso, não possui características memoráveis, por isso vamos para o próximo.



______________________________________________________


Gunforce 2


Também conhecido pelo nome de Geo Storm na terra do sol nascente, essa sequência chama muito a atenção. Criada em 1994, possui uma mecânica mais expressiva e a temática mais no padrão brucutu oitentista de Contra, porém bem exagerada. Quem olha esse jogo pela primeira vez, vai achar que é um plágio descarado de Metal Slug.



Mas não tirem conclusões precipitadas, caros cucamongos, pois o grupo que fez Metal Slug junto com a SNK, a Nazca Corporation, era formada pelos mesmos caras que fizeram ambos os Gunforce, gente da Irem que se cansou da empresa e decidiram montar uma sozinhos. É claro de se ver as semelhanças e inspirações que esse jogo traria depois para MS pelos cenários e gráficos, as máquinas esquizofrênicas gigantes cheias de bugigangas, os tanques e robôs bípedes de canhões giratórios, uma miríade de upgrades para reforçar o alcance e destruição da munição, etc. Só não tem mesmo os inimigos fumados e as fases paródia de seu sucessor espiritual.


A trilha já é mais metaleira e também similar a de MS em tom, porém repetitiva (até os sons de gritos, tiros e afins são similares, se não forem iguais). A temática continua sendo desperados contra o exército alienígena, só que dessa vez tem um maluco mais bombado e uma mina distribuindo bala por aí. Para acumular mais pontos nas cinco fases do jogo, deverá colecionar medalhas e salvar os P.O.W; Só que, diferente dos barbudões de Metal Slug, se salvam mulheres semi-nuas. A dificuldade aqui continua a mesma, só que há mais enxurradas de inimigos. Os chefes não são tão agressivos como os do dito cujo da SNK, apesar da forte semelhança.


Série boa para quem quer saber mais sobre as origens do Metal Slug e como acabou se transformando de um mero "Contra genérico" para algo mais diverso.

5 comentários:

  1. E parece que tem um pessoal querendo lançar outro jogo para o Neo Geo (bizarro, não?) que também lembra bastante o Metal Slug.

    ResponderExcluir
  2. Tem o link? Agora fiquei intrigado. Já soube de um jogo pra Mega Drive na veia do Streets of Rage 3 sendo produzido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. https://jogorama.com.br/noticias/9504/kraut-buster-e-o-mais-novo-jogo-para-neogeo/

      Excluir