sábado, 13 de junho de 2015

Somer Assault



Seu nome original é Mesopotamia, sugere o tema maluco da aventura. Mas os muricanos acharam sem graça e partem prum batismo exagerado, de resultado decepcionante pra quem anseia um shoot n' up vulgar.


Híbrido de tirinho com puzzle. Controla uma mola molengona (a.k.a. Slinky) pagã, em cenários mesclando motivos mesopotâmios com automação tipo o filme Star Gate. Ela gruda nas paredes, anda por tetos, cai dele à escolha, por fim, atira lasers, uma das coisas mantedoras do entusiasmo ao jogar algo estranho assim. O ambiente influencia o manejo da mola somado as eventuais ameaças a pobre Slinky zurwanista. Os chefes são criaturas robóticas zodiacais contendo canhoneiras executando todo tipo de rajadas de tiro.

Este é sem dúvidas uma das melhores bodegas do PC Engine de mídia em cartão. Havia muito shooter fora uns clonaços transitórios entre as duas gerações na qual o aparelho passou. Um raro achado pouquíssimo falado por quem vasculha as catacumbas desta maquineta da Nec. Acho uma pena os japs não produzirem muitos puzzles de ação.


Hoje o Mesopotamia decentemente renovado pros smartphones renderia bons lucros pra Atlus agora trancafiada na jaula da Sega que provavelmente renegará todo o legado dessa e de qualquer empresa que comprou preferindo a fabricação de pachinkos. Joguem, criaturas!

Nenhum comentário:

Postar um comentário