terça-feira, 3 de novembro de 2015

Yie Ar Kung-Fu



De fato o precursor do jogo de luta moderno. Deu uma lapidada nos jogos de caratê mais empedrados (ou os primeirões de boxe) além de incluir musica corrida quando o HP ficasse com pouco sangue, tela listando adversários, pular apertando pra cima (acho eu), perfect, etc.. etc.. Sinto até um deja vu por ter escrito algo parecido na sequencia pro MSX.

Tem botão de soco e outro de chute combináveis com a alavanca para mandar variantes de golpes efetivos contra determinados movimentos e ataques inimigos, assim como nos jogos de luta atuais. Cada guerreiro domina uma determinada arma e tem suas peculiaridades em ser atingido. 


A manha é ficar saltando na hora certa visando alcançar o outro lutador e desferir a sequencia apropriada sem levar a pior. Os cinco primeiros oponentes são barbada vencer, logo depois aparecem de fato o bonde do mal. Assim como nos demais games de luta, você pode ser surpreendido por alguma vitória deslavada adversária e requererá esperteza pra saber no que acarretou a sua falha.

O desafio não é cruel, dá pra fechar com apenas um crédito, principalmente pela bonança de acumular vidas sendo bom de briga. Eu não entrarei em detalhes sobre cada guerreiro e as intriguinhas shaolin porque é tipo filme da Shaw Brothers ou da Golden Harvest - qualquer papo furado é motivo pra brigar e isso de fato é o importante, antes tudo fosse assim, chegar em Brasília, surrar geral, apontar o dedo e por um lama como soberano.


Ótima pedida pra quem deseja zerar alguma porra de arcade ou mesmo conhecer os primórdios do gênero luta. Ótimo jogo da Konami na sua fase mais criativa e ainda nos atira numa ambientação típica dos filmes chineses com aquelas musiquinhas de importadora mequetrefe, podem confiar, é jogo dos bons!

2 comentários:

  1. A versão do NES eu joguei bastante, gosto muito, no MSX acho inviável, controles, bem duros, mas esse do arcade parece que é a cereja do bolo.Vou verificar!

    ResponderExcluir
  2. Joguei tanto a versão de NES (naqueles vídeo-games genéricos que eram só um controle direto na TV) quanto a de Arcade. Embora eu tenha desenvolvido vício pela de NES, a de Arcade é bem superior.

    ResponderExcluir