sábado, 12 de dezembro de 2015

The Queen of Black Magic, 1983, Liliek Sudjio



Filme chapado oitentista indonésio (sim, indonésio) que faz parte das coletânias fuleiras de horror trash muricanas que ninguém mais deve comprar nas bancas de jornais lá no canto da prateleira, ao lado dos pornex da vida.


Tudo se resume ao casamento de um malandro que tirou a sorte grande com a filha de um bacana endinheirado lá na vilazinha do meio da mata. A noiva começa então a chapar com alucinações e o bruxo da aldeia é até mesmo quicado como bolinha de pingue pongue pelas forças malignas desconhecidas. O casanova explica que tudo se deve a uma mina que ele diz ser uma bruxa apaixonada por ele na qual rejeitou, sendo que era apenas uma caipira inocente que até perdeu o cabaço pro cara e desonrou a família por amor (naquele costume oriental de se manter virgem pro casamento). Dessa forma, jogam a miúda ladeira abaixo, mas é salva por um macumbeiro misterioso que a treina para se vingar dos camponeses, sendo que só faz parte de seu plano de esculachar o seu irmão que é líder da aldeia e se tornar o líder.


Com essa deixa, o filme usa e abusa de efeitos especiais bem maneiros reproduzindo as várias macumbas que devem fazer parte das crendices dos indonésios, com direito até a bruxona girando feito uma broca e entrando na terra para fazer um cara se afogar no campo de arroz e emergir todo escrotizado de minhocas e larvas. E não para por aí, tem até vudú da barriga inchada e até mesmo uma macumba de explodir os infelizes de dentro pra fora, com o capricho dos produtores em incluir bolhas de sangue pipocando e a pele se desfazendo como se fosse um viciado em estado terminal de Krokodil, artifício até usado novamente pela tal "rainha" no final para detonar o macumbeiro salafrário que a arrastou para toda essa bosta.



Esse filme é maneirão para quem gosta de todo esse visual estranhão padrão Zé do Caixão, a atriz chamada Suzzanna era até famosa por só fazer esses filmes B de macumbaria demente por lá, já fica essa informação para quem quiser mais filmes do tipo. Esse aqui vale Selo Cucamonga de Qualidade (e Profanidade).



Nenhum comentário:

Postar um comentário