quarta-feira, 25 de maio de 2016

A Vingança de Fu Manchu (The Vengeance of Fu Manchu), 1967, Jeremy Summers



Um dos cinco filmes baseados no chinês criminoso psicótico da ficção Fu Manchu, vivido pelo grandioso dinossauro do cinema, um dos grandes pilares do terror clássico, o homem da pistola de ouro e vocalista de heavy metal Christopher Lee.


Esse em específico é o terceiro filme da coletânea com o Lee, há muitos outros feitos por atores diferentes (incluindo o Boris Karloff). O enredo praticamente se inicia com Fu Manchu e sua filha chegando em seu forte secreto, aonde levam adiante a execução de alguns camponeses, deixando apenas um para sua filhotinha hipnotizar em favor de seu plano maligno de vingança sobre o inspetor Nayland Smith que cortou o seu barato tantas outras vezes.


Enquanto isso, o bom inspetor acredita que o Dr. Fu ainda está vivo e então parte para Paris como sua primeira parada na busca pelo rei manchu do crime. Em uma aldeiazinha chinesa, um doutor alemão e sua filha são capturados por Fu Manchu que exige uma operação plástica no camponês zumbizado pela sua filha, deixando ele com o rosto idêntico ao do inspetor Nayland, além de fazer um trato com gangsters gringos que decidiram se unir sob a sua ideia de utopia criminosa.


Após ser capturado no meio da estrada e substituído por seu impostor, o inspetor para nas mãos de Fu Manchu e sua filha, enquanto o seu “duplo” mata a empregadinha chinesa de Nayland e assim é julgado de assassinato em seu nome. Mas o amiguinho do inspetor, Dr. Petrie, desconfia que seja um impostor e então parte em uma viagem atrás de Fu Manchu, se unindo até a uns camponeses chineses revolucionários que querem detonar o chefão do crime. Após invadir a fortaleza do asiático maligno, salvar o inspetor e os demais reféns, além de mandar o lugar todo pelos ares, a galerinha do bem parte de volta para casa, sabendo que Fu Manchu ainda está vivo e esse prometendo voltar.


O filme é bem fraco e enrolão, sem falar que até mesmo para os padrões dos anos 60, a coreografia das lutas e as mortes eram mal feitas, com direito a estrangulamentos que não duravam nem 5 segundos para matar alguém e a decapitação no começo do filme que nem um pinguinho de sangue tinha. O que leva esse filme adiante foi a interpretação do Lee como Fu Manchu, porém não é o suficiente para considerar um filme maneirão de se ver.

Mas enfim, esse é só um dos vários filmes dele, vocês cabras ingênuos devem ficar atentos, pois não é a última vez aqui na Nação Cucamonga que ouviram falar de Fu Manchu!

“Eu voltarei...”

Nenhum comentário:

Postar um comentário