domingo, 22 de maio de 2016

Road Rash



Readaptação dos jogos 16-bits para extrair melhor o poderio das máquinas de geração seguinte. Arrumei o port de PS1 pela facilidade e talvez por ser a mais usual. Tinha uma boa visão do jogo e ela me decepcionou pra caralho jogando uma segunda vez esta merda! A interface e carregamento cimentado resultam num constante surto psicótico em qualquer alternância  de tela, isso vai até na introdução! Pior é ter que ficar apertando botões pra ver se a desgraça engasgou... 


Você possui dois modos principais, o trash mode, um nome bonitinho pro habitual arcade e big mode, que é a pior encheção de linguiça pensada pra pobreza de cenários do jogo. O trash é totalmente alheio ao seu progresso no big mode, até aí nada demais se formos levar em consideração que isso seja comum em outros jogos. A chatice está na obrigação de rejogar a mesma bosta de circuito no mesmo level pra juntar cascalho e comprar logo uma motoca envenenada. Porque se for afobado e sair vencendo todas da mesma grade de nível, tu não vai dar conta da concorrência no nível 4 e 5. 


Antes de começar o bigmode precisa escolher entre os corredores que variam no uso de armas, dinheiro inicial e modelo de motos apresentando vantagens em certos terrenos, mas são umas sutilezas bem leves, nada adiantam se não comprar as mais careiras. Ai se tu suportar a angustia do carregamento de cada tela, pode salvar teu progresso, comprar motocicletas novas, bater um papo sem graça com os foras-da-lei e então escolher a corrida. São apenas 5 pistas subdivididas em níveis. Passando por elas numa das primeiras colocações, você habilita um novo level que estará disponível no modo arcade

Essas pistas vão ganhando extensão na quilometragem e cada trecho diferencia-se bem dos anteriores. Mesmo assim fica aquele ar de repeteco por ser obrigado a passar por ali não somente no novo nível, mas nos anteriores pra juntar dinheiro. A roubalheira não ficaria pra trás... Eu não sei se é qualidade ou demérito do jogo entupir de curvas e divisas nas pistas enquanto você é obrigado a bater nos outros partindo com tudo na briga, isso quando você não fica enganchado neles. Temos o cenário contendo obstáculos fixos e móveis como carros não apenas na pista da corrida, mas até nos cruzamentos! Você terá que ser onisciente feito Cheçus


Se estiver caído e a polícia pintar na área, vai preso. Quando essa porra toda se junta nas corridas fica algo totalmente baseado na sorte. Soa extremamente tosco! Fica difícil se atentar pra tudo. As músicas pelo menos dão um toque legal na partida. Diferente do Sega CD que metia as canções dos grupos grunge repetindo a exaustão nos rachas, estas mesmas ficam restritas no menu lerdão com a própria pista tocando sua trilha cheia de slap bass e uns efeitinhos de distorção muito comuns nos pornozões do Cine Privê da Band. No meio da jogatina, a EA tascou umas cenas reais, recurso usado até nos primeiros GTAs. A coisa só fica sem sentido ao escolher uma corredora e o vencedor no vídeo ser um cara. 


Um pecado final cometido pelo jogo é a própria ambientação. Quer dizer, os personagens são uns motoclistas marginais e não dá pra jogar com eles representados graficamente na corrida? E que porra é essa de moto Giraya usadas pelos outlaws? Soa heresia! Cadê as choppers meu cacete?! Cadê as Harley, Vincent Black Shadow entre outras EA, sua bosta? Isso não é café racing caralho nenhum! Taí um vídeo :


Eu vou jogar o Jailbreak como última chance pra essa série! Vamos ver se não vacilaram também! É pra achar o desenvolvedor, acorrentá-lo, cortar as sua calças na parte da bunda e sair arrastando  pelo asfalto à noite pra ele sair com o rabo esfolado. Sem mais!

7 comentários:

  1. Pelo menos da pra passar um tempinho jogando, mas esse negocio de ter que repetir fase pra progredir é bem bostoso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, ainda mais quando o número de pistas é reduzido.

      Excluir
  2. Caramba, eu nunca joguei a versão de play mas tinha uma visão bem diferente do jogo. Que coisa sem noção esse descolamento entre escolher uma corredora e no final aparecer um cara, isso sem falar no lance dos motociclistas. Citar cine band privê e jogo de play ao mesmo tempo é porque realmente tem algo errado com o jogo shuashuahsushue.
    Passarei longe dessa pérola!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ainda tenho esperança no Jailbreak, vamos ver se decepciona menos.

      Excluir
  3. Eita, esse é um jogo que eu sempre fui apaixonado, tenho no PC e vira e mexe pego para jogar. Obviamente ele sofre com limitações da época e colocar uma corredora mulher sem um vídeo para ela foi mancada, mas a questão dos sprites, são tudo iguais, só mudando a cor, isso é normal em jogos antigos.

    Sobre os loads lentos, isso é um problema do PS1 mesmo, no PC é super de boas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério? Devia ter baixado essa então, fica pra próxima.

      Excluir
    2. Isso de load é um problema comum do PS1 mesmo, não só com Road Rash, quase todo jogo de PS1 tu passava 1/5 do tempo em telas de load, alguns são mais discretos, como Castlevania, que tem uma salá para dar loading na seguinte, então passava mais suave.

      Excluir