terça-feira, 5 de julho de 2016

Akumajō Dracula X: Gekka no Yasōkyoku



Esta versão teve inúmeras oportunidades  para ficar na história e posteriormente ser relançada nas futuras plataformas: Poderia corrigir imperfeições existentes no PS1. O Saturn era mais vantajoso com jogos 2D e os extras caso fossem bem aplicados aumentariam a duração da campanha. Infelizmente como tudo é feito na sacanagem, o resultado final soou medíocre, tanto a portabilidade quanto os extras. 

A Konami declaradamente quis comer o dinheiro da negada possuidora do Saturn no começo da sua fase decadente portando a coisa de qualquer jeito. Os erros antigos do jogo persistiram nesta versão. Temos slowdowns, carregamentos extras (as vezes num mesmo salão), problemas na resolução, remoção do efeito de transparência a ponto de modificarem certos sprites num resultado porco. Uns até dizem que removeram uma das camadas dos cenários e certos frames dos monstros. Nem o controle escapa. No lugar de acharem uma solução mais rápida para acessar o mapa, você tem que apertar Start e depois R.


As adições são quase inexpressivas. Lembram uma DLC decrépita. Indo no mais evidente - Temos duas áreas inéditas com suas respectivas versões do castelo alternativo. A primeira começaria na entrada do castelo acessada por um fosso, possível de constatar na versão original do PS1 quando o jogador executa certa trucagem. Essa primeira seria um jardim subterrâneo dividido numa área mais ampla e outra situada na parte superior direita apresentando uma estufa. Por causa da sua localização e tamanho, ela perde o propósito, antes fosse na lateral da igreja ou tornassem o bosque externo ao castelo acessível possuindo algum objetivo mais interessante.


A outra área seria uma masmorra fantasmagórica. Essa tem uma lógica maior de estar ali, afinal, ela é uma intersecção da Marble Gallery com a gruta e garante um bom grind pros que quiserem subir o nível. O mapa não deixa de ser modesto. Os monstros das duas áreas variam do interessante ao sem graça. No jardim temos uma árvore macabra cheia de frutos demoníacos, plantas carnívoras, ifrits na versão invertida, jardineiros tipo o Urtigão da Disney ao mesmo tempo que no lado sem graça encontremos focas voadoras, cruzados zumbis. A masmorra se concentra nos fantasmas e estátuas demoníacas, ficaram bem macabros.

Os chefes inéditos são dois: um ninja zumbi extremamente apelão, capaz de arremessar shurykens, raios da espada e explosivos ao ser atacado. Pra derrotá-lo me vali de um familiar fantasma que por alguma razão neutralizava o poder dele. O segundo chefe é a própria Maria quando jogamos com o Alucard. Será necessário uma gama certa de itens para neutralizar seu poder viajado. 


O item novo mais relevante seria uma bota que acelera a passada de Alucard dando dois taps no direcional. Tirando isso os itens seriam complementos irrelevantes como um escudo de planta para ser combinado com a shield rod, alucard spear (do Eric Lecard do Castlevania Bloodlines) e uma capa gay variando o tempo todo a cor. 

No Saturn é possível jogar logo de cara com o Richter e incluíram a Maria possuindo campanha idêntica ao Richter. Diferente deste, ela se concentra nas magias, por isso sua mana e corações são mais elevados. Essas partidas extras são bem mais sem graça. Não temos progressão do poder e sequer lutamos com o Drácula. Se eu fosse os escroques da Konami, faria essas duas campanhas em formato de fases que nem o Dracula X, se era pra criar diferença entre o novo estilo de exploração do clássico. 


Aí, o caro leitor deve achar que eu não recomendo descolar o jogo. Se nunca jogou SotN, recomendo o de PS1. Está em inglês e possui um capricho maior. Agora, depois de zerar duas vezes ou pelo menos compreender a localização do inventário eu correria pra esta. Mencionei sim todos aqueles defeitos mas acho pouco perceptíveis se estiver jogando pra valer sem parecer um pau no cu catando bugs nas fases pra desmerecer o jogo. Pra quem é babaca deve ser capaz de sentir-se incomodado com alguns loadings no PS1 também. 

Nem citarei a versão incluída no remake do Dracula X pra PSP, por não possuir as coisas do Saturn tirando o modo da Maria e crashar direto. Agora convenhamos. Se temos áreas extras, uns detalhes adicionais e uma dublagem japonesa foda, pra que eu ficaria jogando o original se este port é uma das coisas mais estáveis no SSF? Ainda podes jogar no próprio aparelho, pagando pelo original ou não. 


Só sei de um lance. Esse jogo é muito amplo e permite uma gama ampla de estratégias. As roubalheiras usando a shield rod, as magias dignas do Street Fighter e o golpe apelão estando equipado com as divine swords, raríssimas de serem largadas pelos Cloaked Knights na torre relógio. Tem filho da puta que não gosta desse jogo e é capaz de aclamar algumas bostas surgidas desses novos tempos, pegar pra jogar SotN e reclamar da “injustiça”. Já vejo a possibilidade dos onanistas babacões crucificando Bloodstained mesmo se ele ficar um pouco inferior mas ainda na linha de qualidade do Order of Ecclesia.  

6 comentários:

  1. Essa versão certamente é mais completa do que a de PS1, assim como a de PSP (que se não me engano, é possível jogar com a Maria sim), mas a versão do Saturn é só em japonês, enquanto a de PS1, até tradução para o nosso português tem (o meu piratão na época do PS1 já era em português), o que gera uma popularidade maior.

    Já o de PSP, cheguei a tentar jogar uma vez em um notebook, o jogo principal rodava de boas, mas ao tentar rodar o SotN, ficava tudo lento e nem valia a pena, talvez eu tente de novo qualquer hora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma boa jogar antes a de PS1 ou pelo menos algumas vezes para conferir essa, pois acabaria memorizando o conteúdo e não sofreria problemas com o idioma japonês.

      Excluir
  2. esse jogo merecia um remake com graficos melhores e uma expansao.

    otimo post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Konami tá muito decadente pra isso. Vamos ver como fica o revival indireto do Bloodstained.

      Excluir
    2. não conhecia, valeu pela dica!

      Excluir
    3. Acho que os gráficos já encaixam muito bem com o jogo, é tudo lindo. Mas acho que poderiam pegar o jogo, colocar todas as fases bônus, deixar com Richter e Maria, depois lançar para os consoles atuais e Steam.

      Excluir