quinta-feira, 14 de julho de 2016

Crüe Ball



A EA tem um catálogo diversificado no Mega Drive, atirou pra todos os lados. O beta desse jogo seria um pinball ambientado na cultura headbanger, mas a empresa foi marota e ainda conseguiu os direitos da banda Mötley Crüe, o resultado disso é um jogo com personalidade agressiva e um sistema fugindo dos pinballs medíocres. 

A intro do jogo já começa barraqueira com um furgão tocando heavy metal de madrugada no típico subúrbio americano a tal ponto que a vizinhança inteira começa a acender as luzes até sua mãe (pelo que parece) mandar desligar a barulheira. Depois dessa intro apresentando um mutante vestido feito o Crüe de navalha e tudo, começamos do nada numa mesa futurista de pinball


Você tem no total 9 níveis conquistados de acordo com a ordem certa de monstros alvejados pela bolinha além de acerta pinos ou inscrições presentes nas telas. No meio desse processo você pode ser redirecionado para uma arena cheia de monstros à espera de um ataque seu enquanto durar o seu crédito nesse bônus. Preste atenção também ao lançar a bola, um detalhe importante no acúmulo de pontos. Esse esmero extra enriqueceu bastante o jogo e rende interesse em alguém querer fechar o jogo sem parecer mero caça-níqueis. Os temas dão um gás extra durante a partida, une ficção científica, ambientes robóticos, monstros e ornamentos de rock pesado. 


A música é um outro destaque, o Mötley Crüe apesar de descambar muitas vezes pra farofice tinha uma ótima sonoridade pesada além do deboche comum nas letras, são menos rocambolescos que o Guns N' Roses ou o enjoado Skid Row por exemplo, pena o vocalista estar uma merda recentemente. A ost contém os grandes clássicos do grupo: "Dr. Feelgood", "Live Wire" e "Home Sweet Home", soa até inesperado, pois o grupo perdeu bem o destaque com a onda grunge na época do jogo. Outro elogio ao jogo é terem feito uma conversão decente desses clássicos, além das vozes digitalizadas pois Rock N' Roll Racing fracassou miseravelmente quando portado no Mega. 


Mais que recomendado, um pinball progressivo apresentando um controle satisfatório, bons gráficos, ambientação do balacobaco e trilha sonora decente pras restrições do aparelho, mas fica mais divertido jogar isso ao som do próprio grupo. 


6 comentários:

  1. Respostas
    1. Uma das obscuridades da Electronic Arts no Mega Drive.

      Excluir
  2. Gostei do visual, jogos de pinball são obscuros por natureza, nunca tinha visto essa pérola!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se pinballs já eram pouco populares, um referenciando o Mötley Crüe que já estava sem expressão no período foi um grande achado pelo serviço secreto cucamongo.

      Excluir
    2. Kkkkkk ponto para a ACI, agência cucamonga de inteligência!

      Excluir