quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Teleroboxer



Mais um joguete satânico desse "Tratamento Ludovico" portátil, abordando um campeonato de boxe vale-tudo entre robôs gigantes e seus usuários naquele pique da diarréia produção "róliudiana" Real Steel, ou Gigantes de Aço para vossas senhorias que só assistem filmes dublados pela preguiça ou inabilidade de ler legendas.


O papel do jogador nessa brincadeira toda é a de um competidor que controla um robôzão franzino de cabelo espetado que deve descer o murro em vários rivais ao redor do mundo. E isso porque você é um projeto de underdog tentando parecer o Rocky Balboa, pronto para comer raios e cagar trovões, querendo ser o grande champ.


O jogo logo de cara pergunta se você quer o autopause ou não, a diferença estando na capacidade do jogador recuperar a sua energia junto a do inimigo, desligando isso só permitirá que o adversário se recupere sozinho e você não. Devido aquele controle fodido do Virtual Boy com dois botões e um direcional de cada lado, terá trabalho para se acostumar aos movimentos, já que tentaram ser realistas em fazer cada lado corresponder a um dos braços. Sem falar que as lutas vão se tornando cada vez mais difíceis ao decorrer do jogo, os adversários empregando táticas diferentes para se livrar dos seus golpes e poder te encher porrada com bastante velocidade. Felizmente você também tem ataques especiais para carregar e assim mandar socos poderosos. Praticamente é a versão cegadora e bastarda do Punch Out!!



Só por ser do Virtual Boy já fadou Teleroboxer ao esquecimento devido aos filtros maldosos, o controle de merda que complica os comandos e a própria bugiganga mercenária da Nintendo que nunca se popularizou entre as massas. Porém vale a pena dar uma olhada e experimentar, já que a "simulação" de 3D é satisfatória, os designs dos robôs são maneiros e a dificuldade é desafiadora. Mas só se aguentar jogar mais de 5 minutos com esse preto e vermelho do inferno queimando suas retinas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário