domingo, 1 de dezembro de 2013

Saturday Night Slam Masters a.k.a. Muscle Bomber - The Body Explosion




É incrível saber que há pouquíssimos sites brazukeiros, mas pouquíssimos mesmo, que falam desse jogo. E quando falam, usam logo aquele port picareta do Super Nintendo (e só faltava alguém também fazer usando do Mega Drive como base principal, aí seria esculacho). Se fosse para usar as "versões alternativas", usasse a do FM Towns que é mais detalhado, colorido e com trilha sonora mais nítida. Mas enfim, para tentar deixar esse papo de comparar ports diferente, considero o arcade de Saturday Night Slam Masters como o melhor para se jogar (se considerar aquelas frescuragens de efeitos extras, gráficos polidos, etc), além de ser bem difícil.


Esse jogo de wrestling foi feito em 93 pela Capcom com a participação do Tetsuo Hara na arte, aquele desenhista de Hokuto no Ken que vira e mexe lança milhares de versões e merchandisings da série por aí. E para atrair mais ainda os fanbaitolas, colocaram o Haggar para garantir o sucesso.


Porém, mesmo com todo esse apelo promocional, o jogo não fica para trás e é considerado até um dos melhores e mais divertidos jogos de luta livre entre as rodas fechadas. Apesar dos controles serem apenas a alavanca e os botões de ataque, pulo e imobilização, há certas combinações que precisa executar para usar os golpes de luta livre. E isso não é tão fácil de se aprender, já que o controle é meio truncado, não há possibilidade de treino e os oponentes nessa versão são bem ligeiros quando tem uma brecha para te agarrarem.


Também é possível impulsionar você ou o adversário nas cordas, subir no poste, sair e voltar pro ringue e até mesmo provocar. Quando a energia do boneco ou do inimigo está no zero, ele pode continuar lutando, mas se for imobilizado não terá chances de escapar e então perderá. Isso ou esperar até que o tempo termine, ganhando assim por vitória técnica.


Como disse acima, em questão de gráficos considero o arcade melhor, apesar do FM Towns utilizar de mais brilho, cores e nitidez de som, o "caça-níqueis" não fica atrás, além de possuir efeitos extras como a movimentação da platéia, os flashes das câmeras e até mesmo o ringue balançar quando alguém cai. De modo geral, os gráficos são bons e a trilha do jogo é muito legal, ela segue o país em que os lutadores estão, além da entrada de cada um deles.


Com isso, vê se vocês, forasteiros e cucamongos presentes, tomam vergonha na cara e escolham essa versão ou pelo menos a do Towns na hora de jogar ou até mesmo rejogar, é vergonhoso pegar os demais ports se quer ter uma opinião geral do jogo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário