sábado, 16 de maio de 2015

Bio-Hazard Battle



Tiroteio de nave feito pela Sega (também conhecido como Crying), em vez de detonar só espaçonaves ou aliens estilo xenomorfos, se explode aberrações mutantes baseadas em lulas, insetos, micróbios, etc.


O objetivo é viajar por oito fases eliminando os mutantes que infestam o tal planeta Avalon a fim de repopulá-lo futuramente com pessoas. São quatro naves que lembram insetos/bichos aquáticos, todas elas com uma arma principal e um tipo de "mini-satélite" que auxilia no tiroteio e até serve de escudo. Cada um deles tem uma característica diferente em questão de força, velocidade ou variações de tiro.


A mecânica é a mesma, acumular pontos distribuindo bala e acumulando os upgrades de munição em formato de orbs coloridos, podendo reforçar um mesmo tiro três vezes se for pegando o mesmo upgrade. A música é bem minimalista com um baixo e percussão pesadões, querendo reproduzir aquele efeito musical de suspense na veia dos Alien, apesar que há uma ou outra música animada típica de shooter. Os gráficos são bem caprichados nos bichos, tiros e cenários (como na selva ou na caverna, por exemplo). Os controles são decentes e a dificuldade aumenta consideravelmente na metade do jogo, aonde a tela começa a ser lotada de inimigos.



Shooter decente, mas vale mesmo jogar pelo visual das fases e das várias criaturas psicoloucas.

Um comentário:

  1. Muito bonito, mas shooter de nave nesse estilo sempre vai me lembrar do jogo do Nokia.

    ResponderExcluir