sábado, 16 de maio de 2015

Rent-A-Hero



Agora sim um JRPG fugindo do banal, trouxe muitas ideias criativas que não ofende quem for jogar, passadas todas num "mundo real". Controla um personagem e sua forma super heroica, necessitando intercalar identidades para cumprir missões repassadas via computador pela Sega Seca, uma companhia atuante no combate ao crime, alugando trajes super tecnológicos pros mais corajosos, disfarçando-se como mera pizzaria, onde seu laboratório secreto só é acessado trajando a super roupa e sentando na privada do estabelecimento, duvida? Olhaí!


O começo do jogo não podia ser mais inusitado, com o jovem Taro Yamada recebendo o traje por engano por um dos empregados da Seca por simplesmente pedir uma pizza pro lugar errado. Ele logo o usa para dar corda a brincadeira sem noção de seu pai, vestido de monstro para agitar o jantar que havia feito para os seus amigos e depois de mandar um golpe devastador pinta uma abertura viajada estilo tokusatsu.


A missões começam muito simplistas: entregar carta de amor de um garoto para a sua irmã menor, apresentações infantis do herói lutando contra um lagarto gigante e desdobram em coisas perigosas tipo salvar o banco de assaltantes ou se infiltrar como assalariado em empresas que usam dinheiro falsificado prestando até um exame pedindo para ser o mais corrupto possível no questionário.


Você pode morfar no herói tomando o cuidado de sempre recarregá-lo com baterias, ou ele irá mudar de cor para alertá-lo e por fim você voltará a forma humana, mais exposta e limitada nos golpes, quando tiver pouco HP, o menu mudará de cor alarmando sobre o seu estado, tudo recarregável comprando itens nas lojas. 

No banco você precisa pagar a mensalidade da Seca, ou ela tira o seu traje até ser ressarcida com uma multa extra, também é possível fazer donativos pros laboratórios dela desenvolverem armas ou melhorias pro traje, mas cuidado, os recursos poderosos da roupa comerão rápido a sua bateria.

O dinheiro é coletável cumprindo as missões, ganhando em brigas com estranhos na rua ou sendo pego de surpresa por matadores de aluguel ou caçadores de recompensa numa parte em diante do jogo. As missões fazem você se deslocar de trem entre cidades apresentadas num mapa muito similar ao de Manhattan, sempre expandido a quantidade de localidades ao cumprir os objetivos. 


O jogo requer muita atenção nos diálogos soltando pistas mínimas, muita exploração e certa paciência para não empacar, tem uma durabilidade bem extensa pro jogo proposto. Os marginais variam bastante, no começo só são uns vagabundos ralés, depois é que virão atiradores e mafiosos donos de armamento de alto calibre.

Se falar mais estrago a surpresa. O jogo foi feito pelo estúdio Sega-AM2 nada mais nada menos do que a divisão controlada na época pelo Yu Suzuki (Space Harrier, Hang-On, Virtua Fighter, Shenmue), desconfio muito sobre o jogo não ter inspirado a série Shenmue, seja pelos cenários urbanos bem detalhados ou elementos característicos como brigas em troca de grana etc.


Um dos melhores jogos do Mega Drive e marco no gênero JRPG, prova cabal de que a Sega era muito satisfatória nas suas incursões por gêneros que não a consagraram. Mostra pra esses fanchonas putinhas da Square Enix como se faz um jogo genial. O único demérito foi o marketing quase inexistente e marra em não portá-lo no Mega Drive americano. Excelente opção também pra quem não tem X-Box e se vê obrigado a encarar o remake de Dreamcast em japonês. Quase me esquecendo... Esse personagem está disponível no Fighters Megamix do Saturn.

2 comentários:

  1. Esse parece bem foda, tomara que tenham traduzido para inglês.

    ResponderExcluir
  2. No romhacking já tem IPS 100% em inglês.

    ResponderExcluir