sábado, 19 de dezembro de 2015

Henry Hatsworth in the Puzzling Adventure



Joguinho híbrido de plataforma e quebra-cabeça feito por um dos vários estúdios da EA em 2009 que treina o infeliz a assoviar e chupar cana ao mesmo tempo com a ajuda de um velhote britânico em sua aventura de tirar o fôlego no pique Sessão da Tarde.


O tal velho Henry Hatsworth é o estereotipado explorador inglês caduco que solta abobrinhas de como deve ser um cavalheiro, viaja por aí procurando o exotismo antigo nos paisecos bananísticos do terceiro mundo (isso quando não deve visitar uma casinha de ópio) e sempre é pontual para a hora do chá. Ele vai em busca de um conjunto de roupas elitizadas douradas que, segundo a lenda, pertenceram ao "Cavalheiro" (um gambé elitizado pré-histórico) que tinha o acesso a um mundo lúdico de blocos quebra-cabeça e seus tesouros. Encontrando o chapéu que abre o portal desse mundo e lhe dá acesso ao seu uso, o velhote tem que competir na busca das demais roupas contra um lorde almofadinha metido a inventor e seus capangas igualmente estereotipados da sociedade em cinco mundos diferentes.



Graças ao chapéu, o velhote tem duas formas, uma que é sua aparência real de velhote aposentado e a outra quando o poder do chapéu está ativo, dando-lhe sua aparência jovial de seus tempos áureos. Na tela superior ocorre a parte plataforma/ação do jogo. Nela, Henry pode atirar nos inimigos ou descer a machete neles, fazendo combos e destruindo o inimigo, desaparecendo ou virando blocos caindo pra tela inferior. Quando Henry está de energia cheia ou satisfatória, ele permanece na forma jovem onde pode se defender sem problemas; mas quando se perde muita energia, reverte a sua forma velha que é mais fraca. Com o passar do jogo, vai se ganhando habilidades especiais ou comprando upgrades na lojinha do pupilo.


Já na tela inferior, se tem o puzzle baseado na acomodação e eliminação de blocos, podendo trocá-los de posição horizontalmente para completarem no mínimo um trio e fazê-los sumir para virar energia. Dependendo do posicionamento e como o jogador vai trocando os blocos, vai desencadeando cadeias tanto horizontais quanto verticais de blocos iguais que vão se encontrando e aumentando mais rapidamente a barra, também incluindo blocos especiais que podem ajudar no carregamento da barra, curar o boneco ou causar algum efeito na tela ou inimigos.


Mas não pode vacilar se focando só na parte de ação, pois precisa visitar a parte quebra-cabeças frequentemente para encher a barra de energia, se livrar dos inimigos transformados em blocos que podem voltar a atacá-lo se deixá-los emergir da tela inferior ou usar os efeitos dos blocos especiais para auxiliar ou salvar a pele de Henry. Há chefes que podem escrotizar com a tela dos blocos e te impossibilitar de fazer os movimentos da maneira que o jogador quer. Quando a barra de energia está em seu auge, libera um botão "Hora do Chá" que manda um robôzão que deixa o velhote invencível temporariamente e se utiliza de golpes bastante fortes para detonar os capangas ou os chefões, também vai adquirindo habilidades novas com o decorrer do jogo.


A trilha é bem legal, às vezes dando um ar aventureiro, porém temático para as telas, outras pulando pra estereotipagem de alguns personagens e até mesmo indo para trilhas mais metaleiras, uma mistureba que não enjoa a jogatina. A temática de estereótipos britânicos e os chefes fumados (como uma viúva negra psicopata e o tenor metido a galã) também são bem engraçadas. E apesar de tudo, ainda consegue ser um jogo difícil, propocionando uma parcela difícil de plataforma, enxurrada de inimigos em alguns segmentos (que acaba se tornando às vezes um teste de sobrevivência irritante) e alguns chefes difíceis (em menção ao velhote da cadeira de rodas e o último chefe).

No final das contas, esse jogo não é pretensioso demais, é direto ao ponto, prático, tem uma jogabilidade boa e não enrola com historietas ou personagens. E ainda mais sendo "meio quebra-cabeças prático" e com cara de título genérico do DS, acaba sendo surpreendente. É merecedor do Selo Cucamonga de Qualidade


2 comentários:

  1. Gostei da proposta do jogo, parece muito interessante.
    Curto puzzles, desde que não sejam aqueles cansativos demais. Misturado com um pouco de ação, melhor ainda!
    Vou experimentar algum dia pra ver qual é, ainda mais pra DS!

    ResponderExcluir