quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Ultimate Ghost 'n Goblins



Eis outro remake de responsa no PSP, pra todos os efeitos o Ghost 'n Goblins que fecha com chave de ouro o legado dessa franquia ladrona de ficha da garotada. Por mais que soe estranho um jogo bandido como esse ganhar continuação modernosa é sabido que os japas amam a ladroagem dele e poderia muito bem ficar restrito na ilhota sem dar preju.  Fora o fato de dificuldade extremada agradar os sem noção de agora com os critérios totalmente desregulados. Pra essa gente de agora ou o jogo é praticamente um filminho intercalando momento de interação no controle ou é um jogo apelaço que fará você morrer a cada 3 segundos, então isso explica o porquê. 


Aqui no caso não tenho muito do que reclamar, pelo contrário, foi uma expectativa com bom retorno, desde o Super Nintendo não saía algo novo, logo uma franquia importante para dar retorno de grana pra crapcão comendo o crédito da pirralhada. Depois desse parecer, eu vou jogar logo o papo-reto e deste modo você tenta fechar esse pesadelo sidescroller. A questão é sempre aquela do reino do qual Arthur pertence ser atazanado pelos demônios a fim de avacalhar com tudo feito o ônibus 474 do Rio. Um novo monarca infernal já leva embora a princesa e o kina tem que atravessar o mundo dos demônios por fim salvar  a humanidade ou pelo menos o seu vilarejo...

A partida apresenta a mesma estrutura dos antigos fazendo as suas próprias adições. Agora Arthur tem pontos de vida extras antes da sua armadura ser desmantelada permitindo a busca por outras proteções mais poderosas. Arthur agora pode disparar magias bem destrutivas muito semelhantes ao efeito das bombas especiais dos jogos de navinha, bastando ter uma proteção mínima e encher sua barra de mana com frascos de líquido azul. Você tem um menu pra estocar magias, escudos coletáveis, cetros permitindo se teleportar pra outras áreas, anéis mágicos necessários no desdobramento do jogo e outras posses responsáveis por deixar o jogo com leves nuances de rpg


O número de encantamentos jogados no cavaleiro deram uma subida no número de variações, ele tem chance de virar um gafanhoto, galinha, uma gordona, esqueleto, encolher, aumentar de tamanho, fator somatório para a raiva contínua jogando isso. Não é um jogo tranquilo de relevar as mortes, as telas cobram muita atenção, há muitos monstros, armadilhas e cenários sempre exigindo destreza do calango. Na pior das hipóteses volta pro começo da fase ou num check point intermediário. No começo custei a prestar atenção em tudo o que rolava na tela, mas com o tempo você tem uma visão total do cenário e passa apenas a ter melhores reflexos/estratégias. É porque os jogos anteriores tinham fases mais "vazias", agora parece terem explorado os recursos do portátil pra extrapolarem na sacanagem. As fases continuam bem criativas, às vezes revisitando ideias dos jogos anteriores aproveitando levemente dos efeitos 3D com inimigos bem macabros mesmo sendo num design mais cartunesco e de mobilidade bastante pernóstica. A trilha sonora continua bem macabra e não tem como deixar de pensar na série Castlevania em certos trechos. 


No Japão saiu uma versão mais direto ao ponto, a Gokumakaimura Kai, contendo o modo da primeira edição com o acréscimo de existir uma campanha totalmente arcade sem essa questão de revisitações, coleta de traquitanas etc.. Enfim, é pra tu se descabelar, entrar em fúria, gerar uma névoa de pessimismo por morrer tantas e tantas vezes ainda nos primeiros níveis do jogo, realmente é um ultimato... Agora este ficando pendente pro zeramento, baixa bastante a graça de jogar o resto no PSP, por fim mostramos os ótimos remakes lançados pra ele, espero que joguem ou tentem pelo menos chegarem na metade da partida.

4 comentários:

  1. Pô, tá aí outro jogo que eu não sei pq não terminei.
    Esse é mais "frenético" ou "carregado" que os jogos anteriores da série mesmo, mas igualmente divertido!
    Não tinha conhecimento da Gokumakaimura Kai, me pareceu mais interessante ainda! De ficar rouco de tanto xingar... kkkk
    Muito bom o post!

    ResponderExcluir
  2. Só tinha jogado os de arcade, mas esse parece estar realmente lindo.

    ResponderExcluir
  3. Achei o jogo excelente, com exceção da dificuldade que é pra ninja.
    Uma pena essa franquia não ter representantes mais atuais.

    Abç

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A tempo: o psp tem uma ótima biblioteca de retro-jogos:

      http://www.racketboy.com/retro/sony/psp/the-psp-retro-compilation-library

      Abç

      Excluir