domingo, 1 de maio de 2016

The Ressurection of the Golden Wolf (蘇る金狼), 1979, Toru Murakawa



Vejam vocês... O cinema japonês ficou extremamente estigmatizado por apenas duas vertentes: A dos tokusatsus, popular porém vista por lá com maus olhos devido ao ludismo, adulada pela velharada caduca daqui e a segunda dos filmes morosos quase burocráticos de Akira Kurosawa e Yasujiro Ozu. Por mais que suas obras tenham um grande valor, tem que ter uma paciência dos diabos pra assistir, faço até um paralelo com as produções do Kubrick, acho que é por isso que todos só abordam Laranja Mecânica e Nascido para Matar por serem mais viscerais em condução de história.

Essa roda crítica sacripanta sifilítica radioativa ignora todo o cinema setentista de ação dizendo apenas ter filmes de violência pink, histórias envolvendo moças assassinas ou vítimas de todo tipo de abuso, reflexo de uma temática aderida até por diretores nossos. Os filhos da puta não exercem pressão nenhuma para os fansubs traduzirem as bagaças, estes só pensam em dorama, dorama, dorama e tokusatsu. Por essa questão fui buscar a redenção do condenado cinema nihoronguenho. Para a minha surpresa, de tanto chafurdar, encontrei excelentes nomes que rompem a errata das películas japonesas serem abaixo do esperado tirando Ozu e Kurosawa.


Há mais gente de responsa que irei citar no futuro, incluindo Sonny Chiba (mais conhecido, porém extremamente desprezado). O astro da vez, faço questão de priorizar pela sua importância velada. Yusaku Matsuda no ocidente é pouquíssimo lembrado, se não pelo seu papel vilanesco no filme Black Rain de Ridley Scott que também é menos conhecido pelo público por ficar ofuscado entre as outras pérolas do diretor.

No Japão é um estandarte do ator de ação, seja pelo seu lado casca grossa, seja pela sua aura classuda, até hoje seu estilo inspira atores  (sacanas de quinta) e animes. Só pra vocês terem uma ideia, sua imagem é xerocada como a de um almirante na série One Piss ao lado dos fodelões Bunta Sugawara e Kunie Tanaka, deu características ao personagem Spike Spiegel, Lupin III, Rindaman (Crows), Yasutora Sado (Bleach), se bobear o Jotaro Joestar entra no grupo... A lista não termina...

Bio: O cara era filho de um oficial de justiça japonês (que nunca veio a conhecer) com uma residente coreana. Por seu pai morrer durante a segunda guerra, sua mãe teve que se prostituir para sustentar seus outros irmãos, inclusive especulam que tenha nascido na zona, justificaria o fato de ter o registro com uma data de nascimento incompatível. Aos 17 sai do país e parte pros EUA morando com sua tia em São Francisco para estudar. Por causa do forte preconceito fomentado pelo pós-guerra e por ter dificuldades com o inglês, Yusaku volta ao Japão para morar com o seu irmão mais velho por temor de encarar a mãe.


Ele conclui os estudos e entra pro teatro, nesse período ele se relaciona com uma atriz enquanto trabalhava como barman num clube. Devido a influência do pai da garota com o primeiro ministro, Yusaku entra pra tevê fazendo seriados policiais com certa dose humorada e ganha empatia do público. As passagens pela polícia devido a costumeiras brigas lhe causam exclusão por boa parte dos estúdios, mas isso não o impede de alcançar destaque e evoluir como ator, tanto que passa a adotar papéis vilanescos entre outros mais variados na personalidade durona. Verdade que alguns são bem enjoados ou dispensáveis na minha opinião, mas fica registrado a sua capacidade adaptativa nas telonas.

Apesar dos anos 80 representarem o declínio da indústria japonesa, mesmo com o fracasso de filmes caríssimos como Virus de Kinji Fukasaku e Proof Man (com o próprio Matsuda), o ator começou a se popularizar, não por dirigir ou interpretar papéis dramáticos, mas como cantor feito também o Bunta Sugawara. Vou até deixar uma de suas músicas aqui.


A facada da vida acontece em 89, semanas antes de interpretar seu papel definitivo para popularizá-lo mundo afora. Ele descobre ser vítima de um câncer na bexiga. Os médicos lhe recomendam fazer uma quimeoterapia, mas com medo de comprometer o seu grande sonho de atuar em Hollywood, ele dispensa o tratamento com a doença se espalhando para o resto do corpo deixando-o em estado terminal. Morre aos 40 anos de idade, deixando 3 filhos, frutos de dois casamentos e o seu legado fecha-se para o resto do mundo. Se ele ganharia destaque no ocidente, ninguém sabe, uma vez que os demais atores não ganharam papéis relevantes em meados dos anos 80 em diante, no máximo faziam pontas. Depois desta lenga lenga E! True Hollywood Story, falarei sobre um de seus melhores filmes deixando pra próxima outras classiqueiras suas.

[[[ FIM DA PARTE 1 ]]]

        FALA DO FILME, PORRAAAAAA!!!
         |                                ~eeee... tô perplectu com a vida fudida do cara!
\o/ \o/ \o/                       \o/ \o/ \o/

Filmeco: The Ressurection of the Golden Wolf seria um dos muitos projetos envolvendo o diretor Toru Murakawa e Matsuda, uma parceria duradoura que extraem a fase áurea do vagaba, citando a trilogia Yugi/Game.

Tetsuya Asakura vive uma vida dupla como contador de uma companhia de petróleo e de assaltante de banco enquanto tenta falir esta mesma empresa primando inicialmente subir degraus as custas de seu chefe e casar-se com a filha do CEO. O esquema é insano, ele converte o dinheiro marcado pelo banco em heroína, obtendo uma nova mercadoria para cambiar enquanto usa parte do suprimento para viciar a amante do chefe. Além de traçar a vagaranha, ele quer que a garota torne o seu cara em dependente, um genuíno "Dr. Feelgood".


Pela ousadia dos planos, Tetsuya sempre precisa trocar tiros, lutar e tirar da cartola alguma genialidade que impeça os envolvidos de eliminá-lo. Indo contra seus intentos, ele cruza com um chantagista, interpretado por Sonny Chiba, desejoso em  extorquir mesma empresa. Coincidentemente, Asakura encarnado como funcionário é forçado a fazer um trabalho sujo em nome da companhia que esconde sua verdadeira face mafiosa, mal sabendo ela, que chamaram o cara errado. É quase uma versão hardcore de "Homem Mau Dorme Bem", de Akira Kurosawa, de mesma natureza, mostrando um homem entrando de cabeça no sujismundo universo corporativista executando todo o tipo de vingança. Diferente deste que tenta vingar a honra de seu pai vítima de uma maracutaia, Tetsuya Asakura é um grande filho da puta, na linha Duke Togo de ser, menos robótico é claro.

Além da aparência cool, o cara é bom de porrada, usa uma sorte de armas, dribla metralhadora, faz táticas maquiavélicas, tudo em prol de ir para o topo sem ser pego por seus inimigos, uma tecla até batida na trama. Você tem frases de efeito, excelentes sequências de ação, talvez o seu único mal seja a duração um pouco arrastada, perdendo parte do dinamismo quando entra Sonny Chiba na história. Ele está totalmente descaracterizado, bancando um chantagista ardiloso, ainda sim sua atuação é memorável, mesmo pagando de nerd, o cara mantém o sangue nos olhos. As cenas de sacanagem são divertidas, tem uma que a guria está toda junkie, nível Amy Winehouse em final de carreira, pronta para fazer um boquete em Yusaku, quando o sujeito dignifica a moça, suspendendo-a e dando-lhe um beijo na boca ou quando sarra a moça enquanto lancha, coisas inquietantes pros tempos patrulhentos.


O final também não fica pra trás, muito criativo, vence outras produções orientadas pra porrada e tiro. Um encerramento campeão pro protagonista (com as suas ressalvas). A construção final e simbologia me lembra muito as memórias do personagem Spike Spiegel, parece até que o Tetsuya reencarnou em outra dimensão. Não tenho mais o que falar, excelente ator, trama bem frenética e estilosa, ótimos momentos de ação, uma trilha sonora bem legal, indo do eletro disco pros folks japas com a mina cantando na música tema ~OooOooh, changes in my life~. Na gringolândia ele é mais lembrado pela aparição do Chiba, uma pena porque o Matsuda tem outros ótimos filmes. Foi um puta achado esse título. Bom, como não adianta somente citar essas porras sem permitir um meio de torná-las acessíveis, quebrando até esse egoísmo de quem possui o material, o serviço secreto cucamongo está quebrando a cachola pra permitir o acesso do filme, é bem capaz de aparecer boiando pela fanpage, vão dar uma bizoiada lá... Se não é só donaldear o filme no youtube usando os caracteres japoneses e catar a legenda pelo Open Subtitle, cai como uma luva a sincronia.


2 comentários:

  1. Muito obrigado pela critica, ela me ajudou de duas maneiras: A primeira é que eu conheci o trabalho desse cara
    E a segunda é que entendi as malditas referências da paródia cabeçuda do naruto ( rock lee sd, que é melhor que a série principal)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho estranho não dedicarem textos ou uma atenção mínima para determinados assuntos e figuras, ainda mais um ator sempre revisitado pelo mainstream japonês tipo o Yusaku Matsuda. No lugar de esmiuçarem o batido, tinham que trazer a tona o que foi jogado no limbo.

      No mais, recomendamos a excelente filmografia deste ator, aos poucos revisada com algum jeito de vocês poderem assistir.

      E fique ligado! Outros nomes irão pintar por aqui, seja do cinema asiático ou de outros países, até do Brasil!

      Excluir